Imprimir esta página

Cronologia Histórica de Almeirim

A elaboração de uma cronologia histórica sobre uma determinada localidade encontra-se constantemente perante a necessidade de definir/escolher que acontecimentos deverão ser referidos...

 

Almeirim
.1411 - 1995

A elaboração de uma cronologia histórica sobre uma determinada localidade encontra-se constantemente perante a necessidade de definir/escolher que acontecimentos deverão ser referidos. Porque não se pode ter a ambição de tudo apontar, e porque nem tudo cabe no âmbito de uma cronologia, é claramente obrigatório definir os critérios orientadores de um trabalho desta natureza. Privilegiaram-se os acontecimentos de influência mais profunda na vida económica e as referências individuais foram feitas de acordo com a importância local ou nacional que os indivíduos atingiram.

 

Como facilmente se irá verificar, este é um trabalho ainda superficial, sobretudo consequência do estado incipiente dos estudos em história local. Estamos, portanto, conscientes das limitações e sabemos ser esta uma tarefa a longo prazo.

 

No entanto, a inexistência de qualquer informação deste género minimamente sistematizada e os sucessivos pedidos que chegam até nós, quer por estudantes, quer por curiosos da história local ou pelo cidadão em geral, levou-nos a produzir este documento, que teve como base a cronologia incluída no estudo Origem e evolução dos aglomerados urbanos, realizado no âmbito do Plano Director Municipal.

 

 

.1411
- Início da fundação dos Paços Reais de Almeirim

 

 

.1423
- Primeiros documentos da Chancelaria de D.João I datados de Almeirm

 

 

.1424
- Colocação dos marcos de assentamento do Paço Real e divisão dos terrenos da Vala de Almeirim. D.João I manda edificar, provavelmente nesta data, a capela real, orago de Stª Maria.

 

 

.1432
- D.João I atribui os dízimos de Almeirim ao Capelão-Mor da Capela Real.

 

 

.1433
- Nasce a 17 de Novembro, nos Paços, o infante D.Fernando, filho de D.Duarte e de D.Leonor.

 

 

.1440
- D.Leonor de Aragão, após o resultado das Cortes de Lisboa de 1439, foge para Almeirim e aí se mantém até 31 de Outubro.

 

- O Paço Real já se encontra totalmente construído.

 

 

.1454
- D.Afonso V e D.Isabel geram nos Paços de Almeirim, o futuro Rei de Portugal, D.João, Príncipe Perfeito.

 

 

.1478 (?)
- O príncipe D. João ameaça de morte, junto à Ponte de Alpiarça, o Cardeal de Portugal, D. Jorge da Costa.

 

 

.1481
- D. Afonso V passa o Natal em Almeirim

 

 

.1482
- Os monarcas passam grandes períodos em Almeirim (Novembro e Dezembro)

 

 

.1483
- Durante a Quaresma (Fevereiro e Março) e por motivo da doença de D.Leonor, os reis recebem os Duques de Viseu e de Bragança. Entrevista em Almeirim, na Capela dos Paços, entre D.João II e o Duque de Bragança.

 

- Conclui-se o casamento entre o príncipe D.Afonso, filho de D.João II, e a filha dos reis católicos.

 

- D.João II concede Carta de Privilégio aos habitantes de Almeirim. Efectiva constituição do Concelho.
 

 

 

.1484
- Carta de Aforamento de casas e terras para aposentadoria do séquito que acompanha a corte.
D.João II adoece em Castelo-Branco e sai para cura em Almeirim (10/15 de Outubro).

 

- Estadia em Almeirim em Novembro e Dezembro.
 

 

 

.1490
- D.João II nomeia como primeiro almoxarife de Almeirim, Álvaro Pires Borges, membro da sua Guarda Real.

 

 

.1491
- Depois do Pentecostes, a corte chega a Almeirim, onde se fazem os preparativos para o casamento do príncipe D.Afonso.

 

- 11 de Junho - O rei e o príncipe passaram a Almeirim e correram montes, tornando a Santarém no mesmo dia.

 

- 14 de Junho - O príncipe e a princesa ouvem missa na Capela Real e jantam no Casal de Lopo da Palha.

 

 

.1500
- A igreja matriz de Almeirim, orago de S.João Baptista, foi mandada construir, nesta data, por Mestre Henrique, ilustre médico da Corte de D.Manuel.

 

 

.1500 - 1501
- D.Manuel manda passar provisão (6 de Abril) de entrega da ermida de Nª Senhora da Serra à Ordem de S.Domingos de Santarém.

 

 

.1504
- Antão Fernandes, moço do Paço, é nomeado escrivão do almoxarifado de Almeirim (17 de Março)

 

 

.1510
- D.Manuel passa todo o ano em Almeirim.

 

- Representação do Auto da Fé de Gil Vicente.

 

- Data provável do início da ampliação e remodelação dos Paços reais de Almeirim.

 

 

.1512 - 1514
- D.Manuel manda construir um novo paço na zona da Ribeira de Muge,  que ficará conhecido como Paço dos Negros.

 

 

.1513
- D.Manuel passa parte do ano em Almeirim

 

 

.1514
- Natal de D.Manuel em Almeirim.

 

- A instância do príncipe D.João, futuro D.João III, D.Manuel resolve criar o convento da Senhora da Serra, para o qual obtém do Papa Leão X a bula pontifícia de 10 de Maio de 1514.

 

 

.1514 - 1515
- Despendem-se verbas para as obras do Paço

 

 

.1515
- Antão Fernando, escudeiro, exerce o cargo de escrivão do almoxarifado (24 de Maio).

 

 

.1515 - 1516
- De Outubro de 1515 a Maio de 1516 D.Manuel estancia em Almeirim.

 

 

.1516
- Começou a imprimir-se em Almeirim nos Paços reais o "Cancioneiro Geral" de Garcia de Resende

 

 

.1517
- Afonso Montes é almoxarife

 

 

.1519
- Representação do Auto da Barca da Glória de Gil Vicente

 

- Casamento, por procuração, de D.Leonor com D.Manuel I. O rei recebe a ordem do Tosão de Ouro, que Carlos V lhe envia.

 

 

.1520
- É fundado o Convento de Nº Senhora da Serra, com a ampliação da ermida que já existia.

 

 

.1525
- Casamento, por procuração, da infanta D.Isabel com o imperador Carlos V

 

- Representações de Gil Vicente: Tragicomédia Dom Duardos e Juiz da Beira.

 

 

.1526
- Novas representações de Gil Vicente - Templo de Apolo, Breve Sumário da História de Deus, Diálogo sobre a Ressureição.

 

- Nasce, em 24 de Fevereiro, o infante D.Afonso, filho de D.João III.

 

- Nasce a 23 de Fevereiro Gonçalo da Silveira, filho de D.Luis da Silveira, 1º Conde de Sortelha.

 

- O infante D.Afonso, irmão do rei, recebe em Almeirim, o capelo de Cardeal (17 de Junho)

 

 

.1527
- Numeramento Geral do Reino. Primeira contagem dos habitantes de Almeirim (360 indivíduos)

 

- É criada, por D.João III, a confraria de S.Sebastião e de S.Roque destinadas a socorrer as viúvas dos fidalgos e cavaleiros pobres que morressem ao serviço de Portugal.

 

- D.João III manda construir o Hospital de Nª Sª da Conceição.

 

 

.1531
- Grande sismo. Os paços reais são afectados.

 

 

.1532
- Numeramento da população de Almeirim na sequência de um novo cômputo da população do Reino (490 habitantes)
 

 

.1541
- Em Março nasce, nos Paços, um filho de D.Duarte, neto de D.Jaime, Duque de Bragança.

 

- S.Francisco Xavier, antes de partir para o Oriente, com quatro breves pontifícios entregues na vila por D.João III, reza na Capela de S.Roque
 

 

.1543
- Por documento de 10 de Fevereiro emitido em Almeirim, João de Castilho nomeia Miguel de Arruda mestre das obras de pedraria e Alvenaria dos Paços reais de Santarem, Almeirim e Muge, após o falecimento do irmão Pedro Arruda.

 

-Casamento, por procuração, entre o príncipe Filipe de Espanha e a infanta D.Maria, filha de D.João III e D.ª Catarina (12 de Maio).

 

 

.1544
- Cortes de Almeirim. O príncipe D.João é jurado futuro rei de Portugal.

 

 

.1545
- Jorge Ferreira de Vasconcelos "publica" a
comédia Eufrosina, cujo enredo se desenrola em Coimbra, Lisboa e Almeirim. Editada em 1561.

 

 

.1550
- É fundada a Misericórdia, devido à iniciativa de D.João III.

 

 

.1551
- Casamento do príncipe D.João com a princesa D.Joana, tendo como procurador Lourenço Pires de Távora.

 

 

.1552
- D.João III manda efectuar obras na Capela de S.Roque a Ambrósio Rodrigues. Prolongam-se até ao ano seguinte.

 

 

.1553
- Capela instituída por Fernão Alves da Cunha.

 

 

.1554
- D.João, futuro rei de Portugal, cai de um cavalo entre Santarém e Almeirim e morre sem ainda conhecer o seu filho, futuro D.Sebastião.

 

 

.1560
- Pela primeira vez Almeirim, bem como os Paços da Serra e os moinhos do Gomes, são representados num Mapa de Portugal (Mapa de Álvaro Seco)

 

 

.1561
- Morte do almeirinense Pe. Gonçalo da Silveira, no reino do Monomotapa (África)

 

 

.1568 (24 de Novembro)
- D.Sebastião decide residir em Almeirim, levando consigo os tribunais e a Corte.

 

 

.1573 - 1574
- O Papa Gregório XIII envia a D.Sebastião, que se encontrava em Almeirim, uma relíquia: a seta de S.Sebastião. Esta figurará doravante nas armas do Concelho (brasão de Avis), trespassando-as. 

 

- Camões evocará este acontecimento nas "Rimas Várias".

 

 

.1574
- Testamento de Estevão Peixoto. moço da Câmara de D.João III e almoxarife do Paço Real da Ribeira de Muge, que determina a sua sepultura no Convento da Serra.

 

 

.1579
- O Cardeal-Rei D.Henrique pressegue D.António, Prior do Crato. No pórtico do Paço de Almeirim publica os éditos para a sua prisão (11 de Novembro).

 

- Cortes de Portugal - 1ª fase

 

 

.1580
- 11 de Janeiro - Abertura das Cortes de Almeirim.

 

- 16 de Janeiro - Febo Moniz, em representação dos procuradores do Povo, pronuncia o célebre discurso contra a atribuição da coroa ao soberano espanhol.

 

- 30 de Janeiro - Morre, nos Paços de Almeirim, o Cardeal D.Henrique sem deixar resolvido o problema da sucessão ao trono. Funeral e enterro na Capela de Santa Maria.

 

- Filipe II não consegue obter as plantas do Paço Real.

 

 

.1582
- Filipe II desloca-se de Lisboa a Almeirim para se encontrar com sua irmã Dª Maria, viúva do Imperador da Aústria, Maximiliano II. O encontro dá-se no Convento da Serra.

 

.1592
- Diogo Nunes, armeiro e relojoeiro da torre do Relógio de Santarém, é também relojoeiro na Torre de Almeirim.

 

 

.1593
- Os eruditos podem tomar conhecimento de inscrições epigráficas em marcos miliários encontrados por André de Resende nas proximidades de Almeirim (Via Santarém - Mérida)

 

 

.1596
- É mestre de obras dos Paços Reais, António Pires.

 

 

.1601
- Os Paços de Almeirim, da Ribeira de Muge e o Convento de Nª Sª da Serra encontram-se bastante danificados.

 

- Filipe II de Portugal passa provisão atribuindo 200.000.00 reis para a recuperação dos edifícios.

 

 

.1609
- Descoutamento, por Filipe II, da vala Velha e estrada de Santinha (para Coruche).

 

 

.1610
- O novo mestre de obras dos Paços é Bartolomeu Rodrigues.

 

 

.1626
- Por morte de Bartolomeu Rodrigues sucede-lhe no cargo de mestre de obras António Gonçalves

 

 

.1632
- Carta do Monteiro-Mor dirigida a Filipe II sobre a situação da coutada, terras e seus casais. É representado, em esboço, o Paço Real.

 

 

.1640
- O mestre de obras e carpintaria do Paço é António Franco.

 

 

.1641
- Almeirim adere à Restauração do Reino

 

 

.1651
- Morre D.Fernando de Mascarenhas, do Conselho de Estado, governador e capitão general da Cidade de Ceuta e Tânger, general das armadas reais das coroas de Castela e Portugal, governador geral de mar e terra do Brasil, presidente do Senado da Câmara de Lisboa.
Enterrado no Convento da Serra (9 de Agosto)

 

 

.1682
- D.Pedro II, que frequenta o Paço de Almeirim, manda proceder à trasladação dos restos mortais do Cardeal D.Henrique para o Mosteiro dos Jerónimos.

 

 

.1690
- Carta de D.Pedro II aos moradores de Almeirim, a partir da qual se processa uma relativa emancipação dos seus moradores em relação à propriedade real.

 

 

.1692
- Nasce, em Almeirim, a 14 de Setembro, António das Chagas, que será frade arrábido e autor do Teatro Jurídico.

 

 

.1709
- Pelo Alvará de 21 de Julho, D.João V autorizou a Câmara a constituir o partido médico de Almeirim, composto por um boticário e um médico, que venceriam respectivamente 100.000.00 rs. e 50.000.00 rs.

 

 

.1712
- O Pe. Rafael Bluteau nota o despovoamento de Almeirim e o abandono do Paço (Vocabulário Português e Latino)

 

 

.1729
- D.João V institui a Feira franca de S.Roque a começar no dia 16 de Agosto

 

 

.1734
- O Arqº Custódio Vieira é nomeado arquitecto das obras dos Paços Reais de Sintra, Almeirim, da Igreja de Stª Maria da Vitória e da Província do Alentejo.

 

 

.1735
- D.Pedro de Almeida Portugal, marquês de Alorna, manda construir o palacete da Quinta do Vale de Nabais, com ermida própria. Mais tarde, chamar-se-á Quinta da Alorna.

 

 

.1740
- Pe. Inácio de Vasconcelos dedica um capítulo a Almeirim na sua obra História de Santarém edificada.

 

 

.1742
- Nasce Paulo Soares da Mota, alferes das ordenanças da vila, do qual descendem os Sá e Seixas de Almeirim.

 

 

.1748
- Nasce, em Almeirim, Policarpo José Soares da Mota, que foi da governança da vila e cavaleiro da Ordem de Cristo.

 

 

.1752 - 1753
- Grande incêndio na coutada de Almeirim. Devastou 5 léguas de distância

 

 

.1755
- Terramoto de 1º de Novembro. Em Santarém e Almeirim a escala é do grau VII e afecta edificios públicos, religiosos e particulares. Os Paços de Almeirim ficam parcialmente em ruínas, em especial a capela que cai.

 

 

.1757
- D.José I nomeia alcaide-mor de Santarém, Golegã e Almeirim, D. João de Almeida Portugal, 2º Marquês de Alorna. 

 

 

.1758
- O Pe. Gaspar Correia da Silva responde ao questionário oficial do post-terramoto, de modo a informar sobre os efeitos ocorridos e outros informes curiosos que constituem o verbete Almeirim das "Memórias Paroquiais".

 

 

.1760
- É nomeado em 7 de Junho almoxarife e couteiro João da Mota Cerveira.

 

 

.1767 (?)
- Por estarem os Paços inabitáveis, D.Gastão José da Câmara Coutinho, estanqueiro do tabaco da vila, aposenta em suas casas o rei D.José I e comitiva real, na sua visita a Almeirim.

 

 

.1770 - 1797
- Registam-se mais de 50 aforamentos essencialmente no recinto em frente à Praça.

 

 

.1772
- Documento de receita e despesa da Jornada de Almeirim a Salvaterra de Magos que data, provavelmente, o fim útil do Paço Real de Almeirim como aposento dos reis de Portugal.
Transferência do fogão de mármore do Paço para o Palácio de Sintra.

 

 

.1775
- Cartas geográficas das Montarias da vila de Santarém e da Coutada de Almeirim.

 

 

.1778
- Petição da Câmara de Almeirim a D.Maria I para se fazerem lanços para o concerto das casas da câmara e do chafariz público.

 

 

.1781
- D.Maria I faz mercê do Casal da Fonte a D.Alexandre de Sousa Holstein, pai do futuro Duque de Palmela.

 

 

.1790
- Carta do Brasão de Armas de Policarpo José Soares da Mota, natural de Almeirim, da governança da vila.

 

 

.1792
- D.João, regente em nome de D.Maria I, manda demolir o Paço de Almeirim, e a execução desta ordem, que se prolonga por vários anos, cabe inicialmente ao Conde de Soure, provedor das obras dos Paços Reais.

 

 

.1802
- Morre em Almeirim D.João de Almeida Portugal.
 

 

.1805
- Provisão Régia que fixa o partido médico em Almeirim em 200.000.00 réis., visto que o anterior salário de 100.000.00 réis impedia que na terra se fixasse um médico necessário à assistência.

 

 

.1811
- As tropas anglo-portuguesas conseguem, dos campos de Almeirim, evitar a travessia do Tejo pelas tropas francesas lideradas por Massena e que estavam sediadas em Santarém.

 

- Com Massena está D.Pedro de Almeida Portugal, 3º Marquês de Alorna, comandante da Legião Portuguesa às ordens de Napoleão.

 

 

.1818
- O Mouchão do Alfange foi doado, em mercê, ao Barão de Alvaiázere por D.João VI, bens que haviam sido confiscados a D.Pedro, 3º Marquês de Alorna.

 

 

.1819
- Registo de posturas antigas que se seguiram na Vila.

 

 

.1820
- Acordão da Relação que manda entregar à Marquesa de Alorna os seus bens em Almeirim.

 

 

.1821
- A coutada de Almeirim, pelo facto de não se encontrar morada, é extinta pelas determinações legislativas das Cortes constituintes.

 

- Petição dos moradores e lavradores dos campos de Santarém e Almeirim à Comissão de Agricultura das Cortes Liberais, reclamando a anulação de antigas obrigações e pugnando por obras públicas.

 

 

.1821 - 1823
- Frei José António de Oliveira Liberal, prior de Almeirim, publica vários artigos sobre a Maçonaria.

 

 

.1823
- 17 de Dezembro - Requerimento para a continuação da abertura da vala

- A Marquesa de Alorna decide ir viver para Almeirim para tratar de assuntos agrícolas.

 

 

.1824
- Vistoria municipal ao Alpiarçoulo para observar o seu estado e exigir ao Provedor das Lezírias a sua limpeza.

 

- Recuperação da Fonte da Vila.

 

- Afloramentos nos baldios do extinto Paço.

 

 

.1825
- Tentativa de restauração da irmandade do Espírito Santo. D.João VI passa provisão de aprovação do compromisso (23 de Março).

 

 

.1826
- 13 de Julho - Juramento da Carta Constitucional na Câmara de Almeirim.

 

 

.1827
- Arrematação do conserto da Ponte do Pau ao reverendo Prior José António de Oliveira Barreto.

 

 

.1827 - 1828
- Célebres reuniões político-literárias liberais na Quinta da Alorna, onde participam os irmãos Santa Cruz de Santarém, futuros radicais Setembristas.

 

 

.1828
- D.Miguel é aclamado rei na presença do absolutista juiz presidente José Casimiro Salgado.

 

 

.1832
- Nasce o grande agricultor Manuel de Andrade.

 

 

.1833
- Dão-se, em Almeirim, dois levantamentos liberais contra D.Miguel.

 

 

.1834
- 17 de Maio - As tropas de D. Miguel na retirada de Santarém atravessam o Tejo, passam e estacionam em Almeirim a caminho de Évora.

 

- 19 de Maio - Os liberais, após a tomada de Santarém, entram em Almeirim.

 

- 30 de Maio - Auto da aclamação da rainha D.Maria II e do Regime Constitucional.

 

- Pedidos de indeminização de liberais prejudicados ou presos pelos miguelistas.

 

- João César Henriques é o primeiro presidente liberal da Câmara Municipal de Almeirim.

 

 

.1835
- Manda-se consertar a Ponte da Vala de Alpiarça.

 

- Procura-se água para o abastecimento público à população.

 

- É suspensa temporariamente a roda dos expostos.

 

- Reorganizam-se os partidos médico e cirúrgico do concelho segundo novos princípios.

 

- Não é aplicado imediatamente o decreto revolucionário de Mousinho da Silveira que extingue as sisas.

 

 

.1836
- A pedido do Presidente da Junta do Distrito, a Câmara Municipal de Almeirim responde a um inquérito que visa apurar se a vila pode ou não continuar a ser sede do Concelho e quais as áreas ou freguesias a integrar nele.

 

- 16 de Setembro - Almeirim adere ao Setembrismo. Auto de Aclamação a 24 do mesmo mês.

 

- A importância da burguesia local e a adesão ao Setembrismo geram um movimento que irá permitir no novo código de divisão administrativa, o lugar do Concelho de Almeirim, com as seguintes freguesias:

- Sº.João Baptista

- SºEustáquio de Alpiarça

- Sª Marta de Benfica do Ribatejo

- Sº António da Raposa

- Muge

 

- 13 de Outubro - É mandado rebaixar o Alpiarçoulo "novo".

 

 

.1837
- Manuel Nunes Freire da Rocha (n. em 1806) é designado 1º Barão de Almeirim.

 

 

.1841
- Manuel Nunes Freire da Rocha, 1º Barão de Almeirim, adquire as célebres cavalariças dos Paços Reais.

 

 

.1843
- Venda das propriedade de Almeirim, pertencentes à casa de Alorna, ao Barão da Junqueira José Dias Leite Sampaio, bancário, industrial e grande negociante da capital.

 

 

.1843 - 1846
- Plantação de novos olivais pelo Visconde da Junqueira.

 

 

.1844
- Plantação de vinhas no Vale de Nabais, Bosque das Amoreias e Azeiteira, o que configura uma mudança da paisagem rural.

 

 

.1846 - 1875
- Desenvolve-se a coudelaria do Barão de Sobral.

 

 

.1849
- Nasce Anselmo Braancamp Freire, filho do 1º Barão de Almeirim. Republicano ilustre, autor de várias obras e director do "Archivo Histórico Portuguez".

 

 

.1851
- É introduzida a primeira máquina a vapor no concelho (segunda dos districto) para mover os lagares de azeite de purgueira ou fábricas da Quinta da Alorna. Trata-se do primeiro estabelecimento fabril de Almeirim.

 

 

.1852
- Nasce, em Almeirim, Júlio de Carvalho e Vasconcelos, que se tornará célebre como geógrafo, hidrógrafo e oceanógrafo.

 

 

.1854
- O Coronel Júlio Guerra é encarregue do reconhecimento dos terrenos e Vala de Almeirim, sendo encarregue da construção da abertura da vala e nova ponte sobre ela, bem como do enxugo dos campos marginais.

 

 

.1855
- 1ª Planta Topográfica de Almeirim, que resulta dos estudos para a regularização da Vala de Alpiarçoulo.

 

- A planta é executada pelos oficiais da equipa do Coronel José Júlio Guerra, responsável pelas obras de regularização do rio Tejo.

- Cheia.

 

 

.1856
- Cheia nos campos de Santarém e Almeirim.

 

- É feita planta de Benfica do Ribatejo e Almeirim.

 

 

.1859
- O médico Guilherme do Couto escreve uma pequena monografia sobre Almeirim, editada apenas em 1993.

 

 

.1864
- Nasce Guilherme Nunes Godinho. Médico, agricultor, deputado republicano, presidente da Câmara Municipal por várias vezes entre 1902 e 1921.

 

 

.1866
- É publicada pela Imprensa Nacional a 2ª Planta topográfica de Almeirim com base na de 1855, integrada agora numa carta do rio Tejo.

 

 

.1867
- Oliveira Martins publica o seu romance histórico Febo Moniz, cujo cenário é a vila realenga no tempo das cortes de 1580.

 

 

.1876
- Cheia de 7 de Dezembro.

 

 

.1878
- Nasce José António Pinhão, futuro proprietário da herdade da Biscaia e do Moinho de Cima, que irá implementar a indústria de descasque de arroz na Raposa, por motor hidráulico.

 

 

.1881
- É inaugurada a Ponte D.Luis sobre o Tejo, entre Almeirim e Santarém.

 

 

.1882
- É criada a associação mutualista Montepio de Sº João Baptista.

 

 

.1886
- É presidente da Câmara Dionísio Saraiva, que adquire o actual edifício dos Paços do Concelho.

 

 

.1866 - 1888
- É construído o primeiro matadouro municipal.

 

 

.1888
- Planta topográfica de Almeirim de Manuel Ferreira dos Santos, onde já se projectam arruamentos modernos.

 

 

.1889
- Anúncio para o fornecimento de 35 candeeiros de iluminação pública a petróleo. Iluminação pública em Almeirim.

 

- Setembro - As últimas ruínas pertencentes ao Paço de Almeirim, Pórtico ou Capela foram demolidas. O fotógrafo Barros, de Lisboa, fixa o início da demolição dos vestígios.

 

- Começo da construção do novo bairro das Milheiras.

 

 

.1890
- Iluminação pública em Alpiarça.

 

 

.1895
- Cheia de 26 de Fevereiro.

 

- Manuel Minderico e José Monteiro ("Tomba Lobos") participam no destacamento comandado por Mousinho da Silveira que aprisiona Gungunhana.

 

 

.1896
- São publicados os Estatutos da Associação de Socorros Mútuos de S.João Baptista.

 

 

.1898
- Falece em Almeirim Manuel de Andrade, proprietário da Quinta da Ganza a quem se deve um importante lagar a vapor.

 

 

.1900
- É registada a primeira instalação de bebidas alcoólicas e destilaria, pertencente a António Rodrigues Santo.

 

 

.1902 
- São comunicadas a Leite de Vasconcelos importantes descobertas arqueológicas romanas no Concelho.

 

 

.1903
- Iluminação pública em Benfica do Ribatejo.

 

 

.1904 
- É criada a Feira do Parque.

 

- Arrendamentos vinhateiros da Condessa da Junqueira, que influenciam a política vinícola do concelho.

 

 

.1904 - 1905
- O conde de Sobral introduz tecnologia italiana no seu lugar de azeite.

 

- Importantes cheias.

 

 

Anterior a 1908
- É fundado o Club Almeirinense e o Grupo Musical 16 de Janeiro.

 

 

.1909 
- Terramoto em Benavente.

 

- É destruída a Capela do Espírito Santo.

 

 

.1910
- Iluminação pública a carboreto, em Almeirim.

 

 

.1911
- Insitucionalização da Comissão Municipal de Assistência.

 

 

.1913
- Morte da Condessa da Junqueira.

 

 

.1914
- 4 de Setembro - É constituída a Sociedade Agrícola da Alorna.

 

 

.1916
- Início da construção do Bairro de Tróia.

 

- É construída uma Praça de Touros em madeira.

 

 

.1919
- É fundado, por Honorato Mendonça, o quinzenário "A Boia".

 

 

.1922
- A Câmara Municipal manda publicar as Posturas Municipais.

 

 

.1923
- É criada uma Comissão municipal, presidida pelo Dr.João César Henriques, para atribuir nomenclatura aos novos arruamentos da vila.

 

 

.1924
- Frazão de Vasconcelos publica a sua primeira monografia sobre Almeirim: "A sepultura de Fernão Soares".

 

 

.1926
- Montagem da rede eléctrica de Almeirim. A central situava-se no edifício do antigo Quartel dos Bombeiros.

 

 

.1927 - 1928
- A comissão municipal de assistência muda de nome para Núcleo de Assistência "Sopa dos Pobres".

 

 

.1930
- Início da construção do Bairro das Poupas.

 

- Sai o primeiro número do periódico Vale do Tejo. Laurentino Veríssimo inicia a sua colaboração regular neste periódico com a série "Subsídios para a História de Almeirim".

 

 

.1931
- A Banda Marcial de Almeirim reestrutura-se de acordo com novas bases.

 

- A associação recreativa de Almeirim promove espectáculos cinematográficos ao ar livre, nas antigas cavalariças reais.

 

 

.1932 
- É construído o Mercado Coberto de Almeirim.

 

 

.1934
- Fundação do União Foot-Ball Club de Almeirim.

 

 

.1935
- Inauguração do Centro de Saúde ou Dispensário.

 

- Junto à Igreja, é inaugurada a Casa do Povo.

 

- José Vermelho inicia a sua actividade como monógrafo, editando "Monografia da Vila de Almeirim".

 

- Novos Estatutos da Associação de Socorros Mútuos de Sº João Baptista.

 

 

.1936 - 1940
- Elaboração da Planta Topográfica da Vila de Almeirm, documento que serviu de base ao estabelecimento da rede de água da sede do concelho.

 

 

.1937
- Ajardinamento da Praça da República.

 

- Criação da Biblioteca Pública de Almeirim, obra de uma Comissão composta por Álvaro Pina Rodrigues.

 

- António J. Andrade, José M. Russo e J. Salavessa de Oliveira.

 

- Inicia-se a construção da rede de água canalisada.

 

- Inicia-se a construção da rede de esgotos separativos.

 

- O concelho de Almeirim é o maior produtor de vinhos do Ribatejo.

 

 

.1938
- É fundado o Instituo Conde de Sobral.

 

 

.1940
- 27 de Março - Instituto de Beneficência Sopa dos Pobres.

 

 

.1942
- É criado o Cine-Teatro. Projecto do Arqº Amilcar Pinto.

 

 

.1949
- Surge a Associação dos Bombeiros de Almeirim.

 

 

.1950
- Início da construção do Bairro do Pupo.

 

- A antiga Biblioteca Pública passa a municipal e é instalada na sede dos bombeiros voluntários.

 

 

.1951
- Sai o número único do periódico "Notícias de Almeirim", comemorativo da inauguração do quartel dos bombeiros voluntários.

 

 

.1952
- Inauguração do Museu Etnográfico e da Biblioteca Anexa.

 

 

.1953
- Almeirim passa a dispor de uma importante Praça de Touros (8.000 lugares).

 

- É inaugurado o Reservatório de Água, que concretiza o abastecimento domiciliário na vila.

 

 

.1954
- É criado o vicariato de Fazendas de Almeirim.

 

 

.1954 - 1955
- É inaugurado o 2º Matadouro municipal.

 

 

.1955
- Início da construção do Bairro de Sº João Baptista, que será inaugurado um ano depois.

 

- Inicío da publicação de "O Almeirinense", boletim paróquial, mensário.

 

 

.1956 
- Decreto-Lei nº40.812, que cria a freguesia das Fazendas de Almeirim, dando resposta à expansão urbana daquele povoado.

 

- É fundado o Hospital da Santa Casa da Misericórdia.

 

- É criado o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Almeirim e o Grupo de Teatro Gente Miúda.

 

 

.1967
- 1º Plano Geral de Urbanização.

 

 

.1968
- Plantação do primeiro pomar de pessegueiros, que representa o início do interesse frutícolas
em

Almeirim.

 

 

.1969
- 20 de Junho - A Câmara Municipal estabelece o regulamento dos cemitérios municipais.

 

 

.1973
- Início da construção da Escola do Ciclo preparatório.

 

 

.1974 - 1975
- Aparece um novo periódico intitulado "Notícias de Almeirim", que edita 25 números, entre Agosto de 1974 e Junho de 1975.

 

 

.1975
- Negociação de terrenos da Zona Industrial de Almeirim.

 

 

.1979
- A Câmara Municipal encomenda o Plano Geral de Urbanização da Vila.

 

- Importantes cheias.

 

 

.1980
- É criado o Lar da 3ª Idade.

 

- O Almeirinense tranforma-se em quinzenário regionalista.

 

 

.1982
- Surge a Associação de Defesa do Património Histórico-Cultural de Almeirim.

 

 

.1986
- É elaborado o Projecto de Salvaguarda do Centro Histórico.

 

 

.1988
- Surge a Escola Secundária de Almeirim.

 

- Sai a obra "Toponímia da Vila de Almeirim", de António Nunes do Carmo Claúdio.

 

 

.1989
- A Câmara Municipal encomenda o Plano Director Municipal.

 

 

.1990
- É criada a Associação 20 Kms de Almeirim, responsável, pela edição da prova 20 Kms de Almeirim.

 

 

.1991
- 20 de Junho - Almeirim é elevada a cidade.

 

- 20 de Junho - O lugar de Fazendas de Almeirim é elevado a Vila.

 

- 26 de Outubro - É inaugurada uma nova Biblioteca Municipal, Marquesa de Cadaval.

 

 

.1993
- 1 de Junho - O Conselho de ministros, através da resolução 48/93, ratifica o Plano Director Municipal.